Arte no Campus: Leterrings na parede do CRC

Entre os vários alunos que já passaram ou que ainda estão no nosso curso, podemos encontrar diferentes talentos e iniciativas.
Hoje vamos ver o trabalho da Anna Flavia, de decorar e redecorar a parede de uma das escadarias do nosso campus.

Oii, meu nome é Anna Flavia e eu estou cursando o último ano de Design (não sei como).

Anna, de onde veio a ideia de fazer as artes na parede?

Eu sempre gostei muito de coisas que envolvessem a criatividade, sempre tive um carinho pelo lado mais artístico das coisas, desde criança amo rabiscar, quando eu era pequena não via à hora de chegar às férias do fim de ano, que era quando minha mãe pegava um dia para a gente desenhar e pintar no muro de casa.

Como você começou a fazer as artes na parede da UEM?

No final do ano passado o CAB teve a ideia de desenhar algo relacionado ao natal na parede da UEM, então acabei desenvolvendo uma arte com um lettering e algumas ilustrações, tudo em giz por motivos de: era o que tinha. Então eu, junto com minha amiga/ajudante Danielle, rascunhei tudo e a Dani foi me ajudando a preencher os desenhos.

Como você cria suas artes?

Meu processo criativo é basicamente pegar a ideia/tema inicial e sair procurando referências de layouts, fontes, detalhamento, cores, juntar tudo, colocar uma música e começar a rabiscar. Depois de vários testes eu saio tentando juntar a melhor parte de cada um, basicamente como a geração de alternativas que a gente aprende em metod.  Depois é só definir detalhamento, cores, mas isso meio que acaba sendo no feeling, na minha empolgação do momento.

Nos seus desenhos há sempre o foco em alguma frase ou titulo, o que está por traz desse estilo?

Ao longo da faculdade eu fui tendo a certeza que desenvolver produtos não é para mim, o que eu realmente gosto é tinta no papel, ilustração, arte. Então comecei a pesquisar caminhos para seguir que não fosse necessariamente produto, mas que eu aproveitasse o que eu estava aprendendo no curso, assim eu acabei descobrindo o Lettering. Bem nessa época, acho que eu estava no segundo ano, aconteceu uma oficina de caligrafia na UEM e eu aproveitei para fazer. A partir daí eu passei a estudar mais sobre o assunto, comecei treinar, comprar umas canetas diferentes (acabei ficando viciada em comprar canetas e marcadores, scrr), descobrir as diferentes possibilidades de aplicar o lettering, estudar e treinar mais um pouco, fiz um curso para iniciantes e consequentemente começaram a vir às encomendas, mas nada muito grande.

Logo depois da parede do Natal, no começo do ano outra arte foi feita.

Depois da parede do natal me apareceram com a ideia de fazer uma arte de boas vindas para os calouros. Peguei uma frase que fazia sentido para o contexto, fiquei horas rolando o feed do insta e do pinterest procurando referências de desenhos e letterings de pessoas que eu me inspiro no trabalho e depois parti para o rascunho. Foram muitos rabiscos na tentativa de uma diagramação legal, pensando em espaços e qual tipo de ilustração usar. Depois de ter o rascunho no papel, eu parti para rascunhar a parede, com giz também. Novamente eu rascunhei tudo e minha amiga me ajudou preenchendo os desenhos, mas dessa vez com a ajuda da  Melissa também, valeu migas. Essa segunda parede foi mais elaborada, afinal eu já tinha estudado um pouco, passei a consumir bastante esse tipo de conteúdo. Passamos um dia inteiro rabiscando, mas no final fiquei muito orgulhosa da gente. Eu não estava colocando muita fé, já que sempre tive problemas com escala (não é a toa que eu fiz geometria 3 vezes, um bj), mas no final ficou tudo muito lindo.

As artes continuarão a ser renovadas?

Depois da arte de boas vindas, o nosso coordenador Fábio teve a ideia de fazer várias artes ao longo do ano conforme algumas datas comemorativas vão acontecendo.

A última arte feita após a volta as aulas, depois da greve.

Além das paredes, você aplica seus desenhos em outros lugares?

Depois de postar a foto da arte de boas vindas, acabei recebendo encomendas de outras paredes, com diferentes materiais e estilos.

Até agora foram três paredes na UEM, contando com a do banheiro masculino que eu fiz apenas o lettering, usando pincel e tinta.

Essas são outras paredes que fiz fora da UEM.

Quais os diferentes materiais que você usa?

Quanto aos materiais, depende muito do tipo de parede, desenho e qual efeito eu quero. Em paredes pretas eu gosto de usar giz escolar, para ficar como chalkboard mesmo. Já em paredes brancas ou coloridas, eu gosto de usar tinta acrílica e pincel, por conta de pigmento, o giz não pega direito. Uma coisa que eu comecei usar agora é a caneta posca, praticidade, pigmentação, porém é caro e eu ainda não estou nesse nível (até o final do ano eu monto um kit, amém).

Gostaria de acrescentar algo?

Eu meio que me encontrei no lettering, tenho muito o que aprender nesse ramo, mas estou estudando, procurando cursos e treinando bastante. Por mais que eu pense que estou na faculdade errada, nela eu descobri esse tipo de arte e consigo aproveitar técnicas da metodologia de produto no desenvolvimento das paredes, até mesmo a geometria, jesus, quem diria. É um rolê que eu gosto muito, me da vontade de pesquisar, me da uma dor no corpo enorme de depois de terminar uma parede, mas vale a pena.

Fiz um insta para elas que chama @_banannart, da um help para a universitária ferrada, bjs

Publicado em Notícias