Fotos antigas de casamentos, inspiram alunos na confecção de réplicas de vestidos

Vestidos confeccionados pelos alunos do primeiro ano de Moda/UEM, fotografados por Samilla Maioli

A facilidade de clicar a qualquer  momento causou uma proliferação de imagens e um distanciamento das fotografias reveladas, amareladas, coladas nos tradicionais álbuns de família. Quem não se lembra dos momentos agradáveis em que a família juntava-se em torno das fotos antigas, quando da chegada de um parente, contemplando-as  com memórias incríveis? As aulas de Fotografia aplicada à Moda e Modelagem Tridimensional I (moulage), ministradas pelas professoras Aida Franco de Lima e Maria Helena Ribeiro Carvalho, respectivamente, motivaram os calouros do primeiro ano de Moda da UEM/Cianorte a uma espécie de viagem ao túnel do tempo.   E na última semana do ano letivo de 2016, os alunos do primeiro ano de moda da UEM/Cianorte concluíram a disciplina de modelagem tridimensional I, sendo apresentado como requisito parcial para aprovação o trabalho denominado “Memorial das Noivas”.

“Nas nossas aulas teóricas abordamos a respeito da maneira como os equipamentos fotográficos sofisticaram-se, à medida que diminuíram de tamanho. Relembramos a maneira como as fotos das cerimônias religiosas eram muito similares, por ocorrerem em estúdios, e como isso com o tempo alterou-se, significativamente”, explica a professora Aida Franco.  As conversas nas aulas de Fotografia continuaram nas aulas de Modelagem e então surgiu a ideia de realizar um trabalho interdisciplinar. “

Segundo a professora Maria Helena Ribeiro de Carvalho, o trabalho foi desenvolvido com base nos fundamentos da Andragogia, ou seja, com base em técnicas de orientação educacional para adultos, e teve como finalidade o desenvolvimento de vestidos de noivas, escala 2:1, inspirados em álbuns de casamentos de familiares ou amigos.

“Estudos realizados no século XX demonstraram que são distintas as motivações encontradas por crianças e adultos para buscarem o conhecimento. Essa constatação permitiu o desenvolvimento da Andragogia, que nada mais é do que o estudo de técnicas de aprendizado para adultos. Com base nos princípios da Andragogia procurei desenvolver um trabalho que, além da aplicação teórica do conteúdo ministrado durante o ano, ganhasse o interesse dos alunos tanto pela aplicação prática que propõe quanto pelo resgate familiar que o embasou. Assim, surgiu a ideia do trabalho ‘Memorial de Noivas’”, explica a professora. Na ausência de fotos de familiares de alguns alunos, a professora cedeu fotos particulares a fim de que todos desenvolvessem os trabalhos.

Este casal já está unido há quase 60 anos. O vestido é de uma tida da professora Maria Helena, chamada Verônica e que foi confeccionado por uma outra tia, Rosa. O mesmo serviu de inspiração para a aluna Cristina Rosa desenvolver seu vestido de noiva na escala 1:2.

 

“Vestido de Noiva com cauda removível foi o escolhido pela aluna Lorena Holzhausen Tarnhovin para desenvolver seu trabalho de conclusão da disciplina de Moulage 2016 . O vestido que serviu de inspiração foi usado em 1964 pela nora da minha tia Conceição ( a minha querida tia Conchéta)”, explica a professora Maria Helena

 

Minha expectativa inicial era fazer o vestido da minha mãe, então eu fui atrás das fotos. Só que minha mãe não gostava do vestido, era uma lembrança ruim para ela, pois ela casou de rosa, pois estava grávida e como havia uma tradição, ela a seguiu. Eu fiz o vestido dos sonhos dela, toda princesa como ela diz. Esse trabalho mudou minha vida de um dia pro outro! Foi incrível viver isso, e tudo graças à professora Helena. Marcou demais minha mãe, ela amou, todos gostaram aqui de casa e pela primeira vez eu me senti capaz! Capaz não só de fazer o melhor como também de ser alguém melhor, esse vestido foi pra mim, o encerramento perfeito pra começar o segundo ano com tudo. (Adrieli Oliveira)

A expectativa inicial era alta, mas com certo medo! Encaramos o desafio no meio de uma loucura de outros trabalhos e compromissos, mas com muita garra e alegria. Eu sempre tive o hábito de ver fotos do casamento dos meus pais quando era criança, mas há muito tempo já não o fazia! Foi maravilhoso vê-las novamente! E descobrir outras fotos que nunca tinha visto antes, como as fotos de casamento das minhas tias e avós. O resultado foi uma somatória de todos os ensinamentos recebidos durante o ano, uma vitória de um grande desafio. Mas extremamente gratificante, emocionante e um orgulho à parte! (Amanda Cabreira)


Inicialmente o trabalho proposto foi confeccionar um vestido de noiva da família. Na busca das fotos de diferentes décadas entre 40 a 90, foram selecionadas a da minha mãe, avós, tias e primas. A princípio, eu queria fazer um resgate dos vestidos de noiva de época de família. No entanto ao colocar em prática, escolhi o vestido da minha tia Eliza. Como ela estava em estágio terminal, minha intenção foi ainda maior em mostrar o vestido que eu fiz inspirado no dela. Consegui terminar com ela em vida, mas só que foi tarde para mandar as fotos do vestido confeccionado… Ela já não reconhecia as pessoas por causa de tanta medicação para diminuir a dor que sentia. Contudo, ao postar a foto do vestido de noiva feito por mim e juntamente com a foto original a repercussão foi tão grande que ao se despedirem dela todos os familiares comentaram e relembraram da época em que ela se casou. Outro fato interessante que fiquei sabendo depois é que esse vestido foi confeccionado por uma tia dela. O resultado ficou maravilhoso, e superou as minhas expectativas. (Camila Ueda)


Bom inicialmente eu não tinha tanta expectativa sobre o trabalho, mas quando fizemos a busca e reunir todas as fotos, ver meus tios e minha avó. Achei interessante que por ser cidade pequena todos os casamentos eram fotografados no mesmo estúdio ao longo dos anos. Além de perceber as diferenças dos vestidos de antigamente com os de hoje. (Caroline Mundo)

 


Inicialmente minha expectativa com este projeto era de poder realizar o vestido de noiva da minha mãe em escala 2 e conseguir chegar o mais perto possível do modelo real . Para encarar este desafio foi preciso muita dedicação e paciência, pois estávamos correndo contra o tempo , até porque para se realizar um vestido de noiva por mais que seja em tamanho menor demanda muita dedicação , paciência , força de vontade e muito amor por parte da pessoa que está se fazendo o vestido . O projeto também abriu novas possibilidades de me relacionar com parentes que eu não possuía muito vínculo , foi uma pesquisa muito interessantes pois consegui resgatar sonhos de cada noiva da minha família.  A cada foto encontrada era uma nova expectativa pois cada foto trazia uma nova história. O resultado realmente me surpreendeu muito. Eu sabia que todos nós tínhamos capacidade para realizar o projeto mas por conta do tempo não tinha certeza se ficaria da maneira sonhada por cada um de nós, mas no final deu tudo muito certo, o vestido ficou lindo e pude ver nos olhos da minha mãe uma viagem no tempo. Ela parecia ter voltado no dia de seu casamento, foi muito gratificante. (Mayara Luana)



“A principio não tinha expectativas sobre o trabalho e aos poucos durante o processo de procurar fotografias de noivas da família fui criando gosto pelo mesmo. Achava que fazer um vestido de noiva seria mais difícil mas com o auxílio da professora Maria Helena fui vendo que seria possível. Procurar fotografias de noivas da família foi uma experiência legal, porque na medida que ia encontrando, descobria histórias sobre os casamentos da família, o resultado foi incrível e fiquei orgulhosa com o que produzi”. (Vitória Vieira)



“A expectativa inicial foi grande, pois eu queria fazer o vestido como era o da minha mãe.  O fato de buscar as fotos, tanto nos álbuns da minha mãe, avó e tia-avó foi muito legal, pois além de ver as diferenças nos vestidos, pude conhecer os vestidos, que até então não conhecia. Apesar do vestido não ter ficado como o da minha mãe, pois eu modifiquei o modelo do corpo do vestido, eu amei o resultado e amei ter feito esse trabalho. Tanto pela história que ele trouxe e pela experiência de fazer um vestido de noiva.” (Mariana Lucon)

Minha expectativa inicial para esse trabalho foi a mais animadora possível. No começo tinha ideia de fazer um vestido com um detalhe de cada vestido da minha família mas acabou que não ficou muito agradável ao meu olhar. Vou admitir que fiquei com medo de não dar conta por ser um vestido de noiva, mas acredito que se não houvesse tantos outros trabalhos para serem feitos, teria sido muito mais tranquilo. De que modo esse trabalho resgatou vínculos e os incentivou a buscar fotografias em álbuns de família? Este trabalho fez ter uma tarde maravilhosa com a minha bisavó, a qual sempre quis bater um papo mas não tínhamos muito o que conversar. Me trouxe muito conhecimento da minha família que eu desconhecia, de uma certa forma valorizar o que eu tenho hoje. A tarde em que passei na minha vó foi realmente muito legal, pois procurando as fotografias do casamento achávamos outras, por exemplo fotos de meu pai quando era criança e renderam muitas histórias engraçadas. Eu fiquei muito orgulhosa do meu trabalho. Chegar ao final deste 1° ano da faculdade com um vestido de noiva em escala 2 confeccionada é de extrema importância pra mim, jáa que quando cheguei mal sabia alinhavar. Eu acredito que vou aprender muito mais, porém realizar esse trabalho me trouxe uma confiança extra. (Melissa Moreli)

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Desde o começo todos nós pensamos que não iria dar certo, e o tempo não nos dava esperança disso acontecer. Estávamos em começo de greve, e não sabíamos quando iríamos voltar, isso nos deixou ainda mais sem esperança, mas mesmo assim a professora nos incentivou a esperar o fim dá greve para que pudessemos dar continuidade a essa ideia e colocá- lá em prática. Com esse trabalho conseguimos nos inspirar e descobrir informações, talvez, jamais reveladas. Conhecermos histórias sobre o casamento dos nossos pais, avós, tios e até mesmo bisavós, comparando com os tempos modernos de hoje, percebemos que em tudo aprendemos, que o simples fato de sabermos as histórias de amor de nossos parentes, muitas vezes nos faz ter a visão ampla para experiências futuras. (Thalia Souza)

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

A expectativa inicial era encontrar fotos que fossem possíveis de enxergar e replicar os vestidos de noiva. No meu caso, por não possuir muitas fotos de vestidos de noiva e casamento em minha família a tarefa foi mais difícil, e por isso tive de fazer o meu vestido baseado em meus gostos pessoais. Mas o resgate de certas fotos trouxe a nostalgia dos meus familiares a contar histórias que eu nem imaginava por trás da foto. O resultado foi muito bom, mesmo com tantas dificuldades, tenho certeza que vou sempre me lembrar deste trabalho com carinho por ser o último trabalho do primeiro ano do Curso. (Ariel Oliveira Gomes)

A principio gostaria de ter feito o da minha mãe. Procurei nas fotos antigas só que minha mãe não casou de noiva, então pesquisei na minha tia e sogra, e por fim minha inspiração foi o vestido da minha sogra. Acho que eu progredi muito, mas o resultado me mostrou que preciso evoluir mais. (Samilla Maioli)

Publicado em Notícias